China pede esforços diplomáticos sobre programa nuclear do Irã






da EFE

Pequim, 7 mar (EFE).- O ministro de Assuntos Exteriores da China, Yang Jiechi, pediu hoje mais esforços diplomáticos com relação ao programa nuclear do Irã, durante a Assembleia Nacional Popular (ANP, Parlamento chinês).

Yang pediu a todas as partes interessadas que empreendam negociações diplomáticas e usem a sabedoria política para buscar uma solução global, justa e razoável para a polêmica.

O Irã trava um árduo conflito diplomático com grande parte da comunidade internacional por causa das suspeitas de seu programa nuclear, que muitos acreditam ter fins militares.

Países como Estados Unidos, Israel, França, Alemanha e Reino Unido acusam o regime iraniano de esconder um projeto de natureza clandestina e finalidades bélicas, cujo objetivo seria a aquisição de um arsenal nuclear, alegação rejeitada pelo Irã.

Em maio, será realizada na sede das Nações Unidas a Conferência de Revisão do Tratado de Não-Proliferação (TNP) de armas nucleares.

Entre outras coisas, o documento dessa reunião de maio busca negociar uma redução do armamento nuclear, expressa a grave preocupação do Conselho de Segurança sobre a ameaça da proliferação nuclear e pede ao Irã e à Coreia do Norte a cumprirem as resoluções relacionadas a seus programas nucleares.

Em relação à Coreia do Norte, o ministro de Assuntos Exteriores chinês disse hoje que "existe uma grande esperança de que seja retomado o diálogo de seis lados sobre o assunto nuclear da Coreia do Norte, desde que todas as partes envolvidas mantenham contato e paciência".

Iniciado em 2003, o diálogo de seis lados envolve Coreia do Norte, Coreia do Sul, China, EUA, Rússia e Japão para tratar sobre a desnuclearização do regime norte-coreano. As negociações, no entanto, estão paralisadas desde dezembro de 2008.

A China é o principal aliado da Coreia do Norte e o maior sustento econômico e humanitário do país por meio de doações. EFE


0 comentários:

Postar um comentário