Governador Ricardo Coutinho pretende privatizar hotéis da PBTUR

Ricardo admite privatizar hotéis


O governador Ricardo Coutinho (PSB) deixou a entender, ontem, que o Governo pretende se desfazer dos hotéis pertencentes à PBTUR (Empresa Paraibana de Turismo). Atualmente, a PBTUR possui 10 hotéis. Segundo o governador, “se o Estado não tem condições de cuidar da Saúde, que é sério, o que dirá de hotéis”. Em seguida, arrematou: “Coisa pública tem que ser tratada como coisa pública”.

Caso pretenda privatizar os hotéis da PBTUR, a Rede Tropical Hotels poderia ter interesse no negócio. Há três anos, o Governo e a Rede chegaram a iniciar o processo de negociação, e, segundo o gerente geral do Tropical Hotel Tambaú, Fernando Souza, o interesse do grupo era no Hotel Bruxaxa, em Areia, mas a compra não foi realizada porque o estabelecimento foi considerado muito pequeno e não se enquadrava no perfil do grupo.

Ricardo Coutinho participou da posse da diretoria da PBTUR, ontem. Tomaram posse Ruth Avelino, na presidência; Antônio Alcântara, como diretor adjunto; e Temi Cabral, como diretor de Marketing. Na oportunidade, o governador disse que na área de turismo o Governo tem alguns desafios, como destravar definitivamente o Polo Turístico Cabo Branco e retomar a construção do Centro de Convenções de João Pessoa. “Na realidade, iremos construir o Centro de Convenções”, afirmou.

Outra medida que o Governo irá tomar no segmento, será a aproximação com as prefeituras paraibanas. Segundo ele, o Governo, através da PBTUR, retomará as parcerias com os prefeitos de cidades turísticas no sentido de organizar e promover eventos e festas populares. O governador disse que é preciso uma mudança de mentalidade na condução da máquina pública, para superar a “estagnação” em que o Estado se encontra.

Ruth defende a unidade

Aplaudida por todos, a presidente da PBTUR, Ruth Avelino, defendeu a união de todos os setores da Paraíba destacando que “no turismo, mais do que em qualquer outro setor da economia, as parcerias são fundamentais. Poder contar com as prefeituras das cidades turísticas, com os empresários do setor, entidades do setor como Fecomércio, Sebrae, ABIH, Convention Bureau e Senac é de crucial importância”.

Sem essa dinâmica, prosseguiu, prevalece a inércia que nos ilude estagna. Compartilhamento e sinergia. “É fundamentalmente disso que precisamos nesse momento de ruptura de dogmas e construção de novos parâmetros. Devemos deixar de lado as picuinhas, os entraves e as amarras que nos dividem.

 "Busquemos os caminhos e objetivos que nos une no intuito de tirar a Paraíba do atraso em que se encontra em relação a outros estados do Nordeste”, disse.

O secretário Turismo e Desenvolvimento Econômico, Renato Feliciano, assegurou que “temos muitos desafios pela frente, como concluir o Centro de Convenções de João Pessoa, o Polo Turístico Cabo Branco, que está travado a 20 anos; e a Copa de 2014. “No interior, temos de consolidar roteiros como o religioso em Gurabira, Patos e outros; Vale dos Dinossauros, em Souza; Itacoatiaras do Ingá; Civilização do Açúcar; Circuito do Frio etc.”.


Jornal Correio da PB

0 comentários:

Postar um comentário