REGINALDO É PREFEITO!

Sei que vão me criticar, estribuchar, esculhambar e me nomear “persona non grata” devido a esta coluna. Não tô nem aí para esse tipo de crítica, não sou alienado e não costumo mentir pra mim mesmo. Quero guardar e refletir apenas os comentários sábios que tragam junto a falta de paixão e emoção, quero razão e não emoção.
É bom que se diga que aqui não estou declarando voto ou apoio, estou apenas ACORDADO e não num sono profundo acompanhado de um sonho que tem tudo para se transformar num pesadelo que pode ser a derrota. Observo que tenho um bom contato com RP, igualmente tenho pelos outros pré-candidatos a prefeito. Apenas vejo as coisas (a preço de hoje) com clareza e não me embriago pelo excesso de “já ganhou” que é dito a outros candidatos pelos seus principais aliados, e o pior tudo é que alguns pré-candidatos acreditam.
A política tem muitos altos e baixos, prova a verdadeira simbologia da roda gigante. Faltando pouco mais de um ano para as eleições municipais, todos os olhos se voltam para o cargo maior que é o de prefeito.
Como todo mundo já sabe, em todas as esquetes em programas radiofônicos, e até mesmo nas pesquisas de consumo interno dos candidatos que são divulgadas dão uma margem folgada a Reginaldo Pereira, e em algumas, o segundo colocado chega a ter a metade das intenções de votos de Reginaldo Pereira.
Já sei, alguns vem agora com aquele velha desculpa tipo: “mais ele é eterno candidato”, “é candidato há quarenta anos”, “mas ele é campeão de derrotas”, “ah mas não faz nem seis meses que ele foi candidato e ainda tá aceso por causa da última eleição para deputado” e assim por diante.
Já outros vão me dizer que RP tem o maior índice de rejeição, outros vão me dizer que toda vez ele começa assim e no final ele perde. Verdade, pura verdade, só que nas últimas derrotas ele perdeu para quem estava no poder (prefeitura) que foram Maroja e Marcus Odilon respectivamente, que além de nomes tradicionais na cidade eram prefeitos e segundo denúncias do próprio RP e aliados usaram e abusaram da máquina pública para se reelegerem.
Não tô nem quero puxar sardinha para a brasa de RP, até porque ele, como todo mundo já sabe não é muito de ouvir ninguém, é ele e ele mesmo e depois ele!
Mas estou aqui fazendo uma análise minha, de meu ponto de vista, com lucidez e acima de tudo sem paixão. Posso ser criticado por está escrevendo esta coluna. Uns já sei, vão dizer que tô puxando o saco e vão baixar o pau em mim. Sou tudo menos cego e o pior cego é aquele que não quer ver.
Tá na cara que a preço de hoje Reginaldo Pereira tem uma grande chance de ser prefeito. Não duvido da capacidade de Moza, Adones, Maroja, Humberto Alexandre, Olavo, Dra Lourdinha, Bernadino, Eitel Santiago e outros que tenho grande respeito e admiração, mas volto a dizer: tô acordado!
Reginaldo Pereira tá tão consciente (talvez instruído por marketeiros) que pela primeira vez em mais de quarenta anos de candidaturas seguidas está “caladinho da silva” (coisa impossível até pouco tempo atrás, até porque falar é com ele mesmo).
O sono dos adversários de Reginaldo está tão grande que não conseguem enxergar muito, já RP não estão nem ai para eles. Parece que estamos no Iraque, onde os curdos, os turcomanos, caudeus, assírios, luros e os armênios da política de Santa Rita travam uma verdadeira batalha entre si, enquanto Reginaldo Pereira caminha tranqüilamente entre carros bombas, homens bombas, atiradores de elite e suicidas. Nada tira a paz e o sossego de RP.
A política é interessante e dinâmica. Quando as coisas estão complicadas até os arquiinimigos e adversários ferrenhos se juntam para tirar “a chupeta da boca da criança”.
Os casos mais interessantes de junção de forças políticas contrárias para derrotar outros estão até hoje para provar e tirar qualquer dúvida.
Um dos exemplos está no próprio Marcus Odilon, que depois de fazer uma administração brilhante na cidade de Santa Rita se aventurou a ser candidato a prefeito de João Pessoa com amplas possibilidades de vitória. A campanha de Marcus foi tão boa que a menos de três meses do pleito, as pesquisas davam uma vitória folgada a Marcus contra seus adversários. Isso forçou uma união entre todos contra Marcus, foi governo do estado, prefeitura de João Pessoa, deputados, senadores, vereadores, a imprensa, emfim, era o mundo todo contra Marcus Odilon, no final das contas Marcus Odilon Perdeu para Carneiro Arnaud.
Já agora a pouco na cidade de Bayeux aconteceu algo muito parecido. Expedito Pereira era franco favorito a eleição de prefeito em 2008, em todas as pesquisas ele ganhava folgado de Sara Cabral e do prefeito Jota Júnior, e com uma grande vantagem, a briga entre Jota Júnior e o grupo de Sara era grande o que dificultava um união, era negócio que só Jesus descendo do céu unia Jota Júnior e Sara. Seria um passeio, mas não foi. Quando menos se esperava se uniram Jota Júnior, Sara Cabral e Domiciano, junto com eles vieram uma “reca” de vereadores e lideranças dos dois grupos, com isso Expedito Pereira perdeu mais uma.
Na política os opostos também se atraem, por amor ou por necessidade. Ou junta ou perde.
Por enquanto tá um passeio para RP, tá tão tranqüilo que se dá ao luxo de passar alguns dias conhecendo a Holanda e cidades como roterdam, amsterdam, sem deixar de visitar “marcusmouradam”. Se continuar assim não teremos muitas mudanças daqui prá frente.
Se por um acaso estão achando que essa minha analise é factóide, mentira ou outras coisas afins. Se acham que ele não é favorito então observem a pizza já fatiada que representa algumas pesquisas e esquetes divulgadas e depois me respondam com franqueza, frieza e sem emoção: QUEM VAI COMER A MAIOR FATIA?

0 comentários:

Postar um comentário