Armas de fogo matam ao menos 740 mil pessoas por ano, diz ONU

RENATA GIRALDI
da Agência Brasil

Ao menos 740 mil pessoas morrem todos os anos por causa de armas de fogo, o que representa 2.000 mortes diárias. O alerta foi feito hoje durante discussões sobre o assunto com autoridades e representantes de entidades civis de 60 países, em Genebra, na Suíça.

Para o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), a violência armada ameaça o cumprimento das Metas do Milênio, fixadas por 108 países. Segundo as estimativas da ONU, há cerca de 875 milhões de armas pequenas e armamentos leves em circulação no mundo, na sua maioria nas mãos de civis.

Os dados do Pnud indicam ainda que 60% dos homicídios envolvem os chamados armamentos de pequeno porte. Mais da metade desta armas é legal, segundo autoridades.

Para o Pnud, as ameaças se concentram em 34 países onde há conflitos permanentes e persistência de números elevados de criminalidade. De acordo com o Banco Mundial, o combate à circulação de armas de fogo deve ser implementado com os programas para erradicação da pobreza e fome, além da melhoria da qualidade de serviços de saúde pública.

Durante as discussões, as autoridades da ONU advertiram que a violência armada é a responsável pela destruição de vidas e meios de subsistência, além de causar de forma permanente insegurança e dificuldades.

"A violência armada tem um efeito devastador sobre o progresso do desenvolvimento [de uma região]", disse a administradora internacional do Pnud, Helen Clark. "A vida normal é fortemente perturbadora pois os cidadãos são afetados pela insegurança e no acesso aos serviços básicos e modos de vida. A comunidade internacional pode se mobilizar para deter a proliferação e o uso das armas que alimentam a violência."

Especialistas afirmaram que as conclusões da conferência, realizada hoje na Suíça, serão reencaminhadas para o processo de revisão das Metas do Milênio 2010, que ocorrerá nos Estados Unidos.

Na ocasião, os líderes mundiais vão se reunir para avaliar o progresso, identificar as falhas e estabelecer compromissos para concretizar uma agenda visando a realização das metas.

Em junho de 2006, 42 países lançaram a Declaração de Genebra sobre Violência Armada e Desenvolvimento. A ideia é reduzir os casos de violência armada até 2015.

Em março, 108 Estados assinaram a declaração. Com base no trabalho da Declaração de Genebra, as Nações Unidas e o governo da Noruega atuam em parceria com os demais signatários do documento para assegurar o cumprimento dos compromissos.

0 comentários:

Postar um comentário